fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início João Vicente Machado Até onde vai a racionalidade humana?

Até onde vai a racionalidade humana?

O Brasil foi palco, neste mês de julho de 2022, de mais uma onda de violência. Desta feita e entre outros crimes, foi vítima de estrupo uma parturiente na cidade do Rio de Janeiro, e vítima de morte Marcelo Aloisio de Arruda, que há 28 anos exercia o ofício de guarda municipal na cidade de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Na segunda feira, 11/07/2022, uma mulher de 32 anos, anestesiada, era estrupada pelo próprio anestesista, dentro do centro cirúrgico de um hospital em São João do Meriti, no estado do Rio de Janeiro.

Duas notícias chocantes, de repercussão nacional e internacional, que vai erodindo ainda mais a já desgastada imagem do Brasil perante o mundo civilizado.

No crime perpetrado no sábado, dia 09/07/2022, a vítima fatal foi o guarda municipal Marcelo Arruda, que enquanto cidadão, era diretor do Sindicato representativo da sua categoria, além de tesoureiro do Partido dos Trabalhadores de Foz do Iguaçu.

Na data fatídica, ele reuniu a família e os amigos em uma associação de classe da cidade, para celebrar o seu aniversário de 50 anos. A festa teria como tema o Partido dos Trabalhadores e o ex-presidente Lula.

A celebração mal havia se iniciado, quando chegou à frente do sodalício o policial penal federal Jorge José da Rocha Guaranho, o qual sem conhecer ninguém na festa nem tampouco ter sido convidado, postou-se em frente ao prédio e passou a proferir palavras agressivas contra Marcelo. Desceu do carro aos gritos histéricos reveladores da sua maior fonte de inspiração: “Aqui é Bolsonaro!”

O boletim de ocorrência informa ainda, que no carro do agressor havia uma mulher e um bebê e que após as primeiras escaramuças ele havia deixado o local, e de forma premeditada, voltou logo em seguida sozinho e armado.

Após breve discussão e numa prova inequívoca de intolerância política, disparou a sua arma contra Marcelo Arruda que, apesar de revidar os tiros, foi ferido de morte. Em seguida levaram-no para uma unidade de saúde, onde ele veio a falecer.

O assassino, que segundo o boletim também teria sido atingido, deve ter simulado um ferimento de maior gravidade para fugir do revide dos presentes. Ele sofreu de fato, apenas alguns teve ferimentos leves que o atingiram de raspão e sobreviveu, sendo preso em flagrante delito.

Uma vez consumada a tragédia, que culminou com o crime doloso em que foi vítima Marcelo Arruda, o fato começou a repercutir, tanto na esfera oficial quanto na esfera política, com algumas declarações relevantes:

Para o secretário de segurança pública da cidade de Foz do Iguaçu:

Pelo que percebemos, foi uma intolerância política.”

 

Para o presidente da república Jair Bolsonaro, pré candidato à reeleição pelo PL:

“independente das apurações republico essa mensagem de 2018: dispensamos qualquer tipo de apoio de quem pratica violência contra opositores. A esse tipo de gente peço que por coerência mude de lado e apoie a esquerda que acumula um histórico inegável de episódios violentos. É o lado de lá que dá facada, que cospe, que destrói patrimônio, que solta rojão em cinegrafista, que protege terroristas internacionais, que desumaniza pessoas com rótulos, que invade fazendas, que empurra um senhor num caminhão em movimento…. …….. Que as autoridades apurem seriamente o ocorrido e tomem todas providencias cabíveis, assim como contra caluniadores, que agem como urubus para tentar nos prejudicar 24 horas por dia.”

Para Lula, ex-presidente e pré-candidato à presidência pelo PT: ainda de posse da última informação, falsa, de que Guaranho teria morrido:

“Nosso companheiro Marcelo Arruda comemorava seu aniversário de 50 anos, com sua família e amigos, em paz, em Foz do Iguaçu. Filiado ao Partido dos Trabalhadores, sua festa de aniversário tinha como tema o PT e a esperança no futuro; com a alegria de um pai que acabou de ter mais uma filha.

Uma pessoa, por intolerância, ameaçou e atirou nele, que se defendeu e evitou uma tragédia ainda maior. Duas famílias perderam seus pais. Filhos ficaram órfãos, inclusive os do agressor……
…. Que Deus, na sua misericórdia, interceda em favor de nós brasileiros, pacificando nossas almas, e traga conforto às duas famílias destruídas nessa guerra absurda, sem sentido e sem propósito.”

 

Alexandre de Morais, ministro do Supremo Tribunal Federal:

“A intolerância, a violência e o ódio são inimigos da democracia e do desenvolvimento do Brasil. O respeito à livre escolha de cada um dos mais de 150 milhões de eleitores é sagrado e devem ser respeitados por todas as autoridades no âmbito dos 3 poderes.”

Para Flávio Bolsonaro, Senador (PL RJ):

“Repudio o atentado contra a vida do guarda municipal de Foz do Iguaçu. Um ato isolado e irresponsável, que absolutamente nada tem a ver com as pautas que defendemos para o Brasil.

Não somos assim, não precisamos mais de ‘Adélios,’ não podemos e não vamos nos igualar à esquerda.”

Para Randolfe Rodrigues, senador (REDE-AP):

“Não existe dois lados quando um deles é a BARBÁRIE! Um bolsonarista assassinou um pai de família, líder do PT em Foz do Iguaçu, durante sua festa de aniversário. Nossa solidariedade à família de Marcelo Arruda. Isso é inconcebível! Intolerável em qualquer sociedade.”

O depoimento do secretário de segurança pública da Prefeitura de Foz do Iguaçu, feito nas primeiras horas após o crime, em que pese o vínculo do prefeito municipal com o PSD componente do centrão, foi lacônico, mas a bem da verdade foi imparcial, por enquadrar o crime como intolerância política.

Com relação ao pronunciamento do Presidente da República Jair Bolsonaro, os assessores que escrevem o que ele fala, limitaram-se a republicar uma mensagem requentada do ano de 2018, quando Bolsonaro ainda era candidato.

No assassinato de Marcelo Arruda, de forma açodada e antecipando-se às apurações, o presidente da república desfiou uma catilinária (ou seria bolsilinária) eivada de acusações que pouco ou quase nenhuma referência fez aos fatos recentes.

Exumaram a fatídica e até hoje mal explicada facada atribuída a Adélio Bispo, ainda cercada de misteriosa dúvida, que culminou com o arquivamento do processo por solicitação da própria defesa de Bolsonaro, e que o senador Flavio Bolsonaro, filho do presidente da república, estranhamente revela em sua nota: “não precisamos mais de Adélios.”

O assassinato brutal de Marcelo Arruda, a rigor é a materialização do discurso de apologia à violência, proferido por Bolsonaro ao longo da sua vida pública, notadamente a partir de 2017 quando ainda candidato a presidência da república. Vejamos:

“(Ministro da Educação) Tem que ser alguém que chegue com um lança-chamas e toque fogo no Paulo Freire. 30.4.2018.”

“Vamos fuzilar a petralhada toda aqui do Acre, durante comício em Rio Branco. 1.9.2018.”

“Ela não merece (ser estuprada) porque ela é muito ruim, ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. 10.12.2014, sobre a deputada Maria do Rosário.”

“Esses policiais têm que ser condecorados. Policial que não mata não é policial.” 27.11.2017.”

“A arma de fogo, mais do que garantir a vida de uma pessoa, garante a liberdade de um povo. 29.10.2018.””

“Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxilio- moradia, eu usava para comer gente. 8.12,2017.”

Diante de tanta pequenez moral recorrente, não se admirem se nos próximos dias ele voltar à carga com novos episódios, novos bois de piranhas para lançar nas águas turvas do poluído rio da sua imaginação.

O presidente da república, ao invés de se postar como magistrado, parece ser acometido da obsessão de ter sempre um inimigo de esquerda em quem possa colocar defeitos. Na falta deles é capaz de recorrer até à Síndrome do Espelho.

Em sã consciência, precisa dizer mais alguma coisa ou os fatos e registros históricos mostraram tudo?

 

 

 

 

 

Consulta:
“Aqui é Bolsonaro”, gritou policial que provocou tragédia em Foz do Iguaçu | Geral (jornalja.com.br);
O assassinato de Marcelo Arruda materializou o discurso de Bolsonaro – Congresso em Foco (uol.com.br);
As ideias e os valores de Bolsonaro em 100 frases – Época (globo.com;)

Fotografias:
Saiba quem é o médico preso após estuprar grávida durante parto de cesariana | O TEMPO;
https://www.google.com/search?q=Secret%C3%A1rio+de+Seguran%C3%A7a+Publica+de+Foz+do+Iguaçu;
(83) Bolsonaro imita corte no pescoço com faca – YouTube;
Ministro Alexandre de Moraes é eleito para novo mandato no TSE – Notícias – R7 Brasília;
(11) Flavio Bolsonaro | Facebook;
Randolfe vai ao TSE contra Jair Bolsonaro por “discurso de ódio” – ContraFatos;
https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/bolsonaro-e-condenado-por-dizer-que-maria-do-rosario-nao-merece-ser-estuprada-459;

Artigo anteriorA boca do povo
Próximo artigoA verdadeira face de Jesus
Relacionados

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Absolutismo á Brasileira em Pleno no Século 21

O absolutismo foi um sistema de governo político e econômico, adotado na Europa entre os séculos XVI e XVIII, na fase transitória entre o...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...