fbpx
25.1 C
João Pessoa
Início João Vicente Machado O passivo ambiental do atual governo

O passivo ambiental do atual governo

A dimensão territorial do nosso país, aliada à diversidade dos nossos biomas, adicionada às nossas condições climáticas, beneficiadas por um solo rico e fértil além da nossa reconhecida potencialidade hídrica, são fatores que conjugados, nos distingue como um grande produtor mundial agropecuário. Não é à toa que o Brasil ocupa o ranking de segundo maior produtor de alimentos do mundo e de maior exportador de alimentos.

Apesar de todos esses fatores positivos padecemos de uma carência de planejamento estratégico das nossas ações econômicas. Elas estão sempre à reboque de uma verdadeira anarquia da produção, ditada pela sofreguidão de lucro fácil, uma síndrome sempre presente nos grupos econômicos.

Essa é uma prática imposta por um modelo econômico de capitalismo selvagem, que tem escandalizado inclusive os representantes do liberalismo econômico.

Que a apropriação dos recursos naturais é necessária para a produção de alimentos e bens duráveis, todos estamos carecas de saber, inclusive os ambientalistas. Todavia a apropriação devastadora posta em prática pelo atual governo brasileiro, além de colocar em risco a sustentabilidade, afronta um elenco de normas, leis e tratados ambientais, nacionais e internacionais, constituindo-se numa política de terra arrasada.

Ou o humano respeita a sustentabilidade ambiental, ou vai ser varrido da face da terra como a espécie mais predadora da criação natural. Quando somos obrigados a fazer afirmações tão severas como essa poderemos até sermos considerados lunáticos e exagerados.

A forma devastadora de apropriação dos recursos naturais tem contado com a leniência e a cumplicidade das autoridades brasileiras. Há uma transgressão continuada às normas e leis ambientais, em desrespeito aos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário, tudo em nome do lucro fácil. Não obstante as severas represálias dos nossos parceiros comerciais internacionais, os quais levam essa questão da sustentabilidade muito a sério.
Chegou às nossas mãos a edição eletrônica de uma revista do Piauí que traz uma matéria/denuncia que podemos considerar de substanciosa, porém encimada por uma manchete a meu ver infeliz. Diz a manchete da revista Piauí:

METADE DO SERRADO SUMIU
” Governo esconde dados do aumento do desmatamento na fronteira agrícola onde mais cresce a produção de grãos.”

Podemos dizer que um objeto ou pessoa desaparece quando literalmente some. No caso do cerrado ele não sumiu, ele foi criminosamente eliminado em 50% da sua extensão.
O Cerrado, para um melhor entendimento, é um bioma com características sui generis, que tem uma semelhança muito grande com a savana africana, e a sua cobertura vegetal é composta por formações vegetais de grande biodiversidade. O tamanho da vegetação vai desde as gramíneas e leguminosas rasteiras, com a predominância da vegetação arbustiva, além de arvores de maior porte que podem atingir até 30 m de altura como o Araticum a aroeira o Pau D’arco e o Pequizeiro.

Segundo o IBGE o cerrado que para quem não sabe é internacional e possui uma extensão territorial de 2.036.448 Km2 de extensão. Ora se é verdade que metade do bioma já foi devastado, restam exatamente 1.018.224Km2.

A Área do Cerrado internacional

Todavia, tão importante quanto saber da magnitude da devastação, é avaliar em que período essa devastação aconteceu.

Pelas informações que nos chega, entre agosto de 2020 e julho de 2021 o cerrado perdeu 8.531Km2 de vegetação considerando toda área do chamado MATOPIBA, (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

O governo federal, da mesma maneira que faz com o desmatamento dos demais biomas brasileiros, escondeu os dados o quanto pode e eles só vieram à público graças à decisão corajosa do corpo de funcionários honrados e comprometidos com a sustentabilidade que ele ainda não conseguiu banir desses órgãos.

Falar da devastação e não falar das consequências deletérias que ela irá causar, seria uma omissão imperdoável na qual não queremos incorrer.

Pois bem, o cerrado é tão generoso em termos de alimentação de nascentes e cursos d’agua, que é chamado carinhosamente de floresta invertida, o que nos sugere que a evapotranspiração ao invés de mandar água para a atmosfera o faz para o subsolo.
É importante ressaltar que o cerrado concentra importantes bacias hidrográficas e nascentes fantásticas como o Jalapão.

O que vem ocorrendo em termos de devastação não somente no cerrado como nos demais biomas do Brasil precisam ser contido sob pena de nos transformar num deserto, como adverte o chefe da nação indígena Apache o cacique Cochise, disse ele:

“Somente quando for cortada a última árvore, poluído o último rio, pescado o último peixe, é que os humanos irão perceber que não comem dinheiro!”

 

Consulta e Fotografia:https://piaui.folha.uol.com.br;

Relacionados

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Absolutismo á Brasileira em Pleno no Século 21

O absolutismo foi um sistema de governo político e econômico, adotado na Europa entre os séculos XVI e XVIII, na fase transitória entre o...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...