fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início Neves Couras Finalmente, 2022 – E agora?

Finalmente, 2022 – E agora?

“Pois bem”! Finalmente, chegou 2022, com ele o que virá? Certamente, grandes expectativas. Se você acredita que indo ao mar e dar sete pulinhos te trará boa sorte, que tenhas boa sorte. Se jogou flores para Iemanjá, ótimo! Assistiu à “missa do galo”? Muito bom. Cada um, pratica aquilo em que acredita. Isso se chama Fé. E como diz Maria Bethânia, em seus versos: “A fé no que virá a alegria de poder olhar para trás e ver que voltaria com você de novo a viver neste imenso salão”.

Esperança! Que bom iniciar o ano cheio de esperança, alegria, fé, e deixar, o que não foi bom, tudo jogado ao vento para bem longe daqui. Seria possível? Acredito que sim, precisamos realmente deixar para trás o que não foi bom. Descarregar nosso caminhão de lixo, com que acumulamos durante todo ano. A tristeza certamente nos visitou, mas vou jogar fora. A partida de alguém que amamos, foi dura, foi cruel, mas se não dependeu de mim, e eu fiz tudo que podia para ajudar, e mesmo assim ela ou ele partiu, então, pode ter sido culpa de alguém, não importa, neste momento de descarregar as nossas tristezas.

Sabemos que nem uma folha cai de uma árvore, se não for da vontade do Criador, claro, era sua hora. Se ouve um responsável, iremos tentar fazer o possível para que essa pessoa ou essa instituição pague pelos seus erros. Mas não guarde em seu coração tanto rancor, tanta mágoa. Agora é hora de acumularmos alegria e esperança, lembra?

Ah! Mas são todas tristezas, tantas coisas que estou passando, como alimentar tanta coisa em meu coração? – Você deve estar pensando isso neste momento que lê este texto, mas olha, resolvi escreve-lo, em primeiro lugar, porque eu também estou passando por dificuldades, muitas pessoas no meu círculo de amizades também está. Mas de vez em quando recebo uns “puxões de orelha” de uns Amigos e Amigas que estão do outro lado, e ai, fico com aquela cara de arrependimento por não ter olhado para outros, por não me dar conta de tanto carinho que recebo.

Certo dia, isso não é conversa de escritor, estava muito triste, sentindo uma dor tão profunda, daquelas que dá vontade de chorar, correr, para um lugar incerto, essas coisas, que sentimos quando estamos tristes. Liguei a televisão e vi uma imagem dos Médicos sem Fronteiras. Estavam resgatando em bote inflável alguns refugiados, e a frente deles, havia um homem com olhar tão desesperado, tremendo de frio e quem sabem com fome. Naquele momento, senti como se estivesse recebendo uma chibatada para que eu acordasse. Que motivos tenho para me queixar? Aquilo lá sim, é sofrimento. O que estou passando, é apenas o exercício necessário para meu crescimento espiritual.

Sei que muitos de nossos irmãos em Cristo, estão passando por enormes dificuldades, mas sem estar aqui para buscar culpados nem ser juiz para dar sentença, de quem é a culpa de tudo isso está acontecendo? Qual a minha participação neste caos pelo qual estamos passando? Não diga que foi Deus que resolveu nos castigar. Deus nos dá todas as opções para que escolhamos a melhor, mas ainda somos crianças, e, às vezes, somos iludidos ainda com pequenos “presentes”, destes presentes que depois nos trazem enormes consequências. Vamos aprender a observar quem está nos presenteando, e o que nos está oferecendo.

Voltando a música de Maria Bethânia, o grande salão está em nosso em torno. Os amores vêm e vão, mas a música não para. A música muda o ritmo, muda a orquestra, mudam os dançarinos, mas nosso coração juntamente com nossa mente, pode ou não mudar. Eles trabalham juntos, sabiam? É a emoção e a razão. Mas nós os comandamos. Por isso, precisamos aprender um pouco mais sobre nós mesmos. Lembra daquele filósofo da antiguidade que dizia: “Conhece a ti mesmo”? Olha, esse autoconhecimento é coisa muito séria.

Quando nos conhecemos de verdade, não fazemos certas escolhas, não colocamos a “mão em cumbuca”. Essa é antiga, mas sei, muitos já ouviram falar. Colocar a mão em cumbuca, é acreditar no desconhecido. E por incrível que pareça, quando nos conhecemos, sabemos por um grande número de sinais que a vida nos mostra, o que é bom e o que ruim para nós. É meio caminho, para não chorar sobre o leite derramado. Desculpem hoje, parece que estou com alguém do meu lado, que vem lá do interior, está me trazendo a memória de um monte de ditados populares, que nos dizem muitas verdades. Eles sempre estão comigo, quando escrevo. Hoje, deve ser um grande amigo que conhece o sertão, e nossos ditados.

Voltando ao tema da felicidade, fui buscar em um livro ditado por D. Helder Câmara, para o Médium Carlos Pereira. Ele diz:  

Como o ano Novo, chegou, chegaram também as oportunidades de mudança de vida. Mas, não estou falando de ganhar na loteria. Estou me referindo a fazer aquele mergulho profundo, lá dentro de si, claro que se você, for mesmo bem profundo, pode doer, pode se machucar, mas acredite, faça isso, o quanto antes. Outra sugestão: não se desespere com o que encontrar, nem se culpe. Conhecer a si mesmo é um modo de renascer para uma vida nova. E essa vida pode ser tão mais leve! Que tal começar pelo guarda roupa? Quantas roupas, sapatos, e acessórios, você deixou de usar nestes últimos dois anos, e com certeza, não os usará mais? Fazendo essa “limpeza”, distribuindo com quem precisa, já fará um monte de gente feliz. Será que você precisa de tantas coisas que estão lá nos armários da cozinha, que possivelmente, nem sabe mais que existe. Alguém, pode estar precisando.

Vamos agora, aos sentimentos: Como estão? Pare, respire, pense, quem veio à sua cabeça? Alguém que ama, ou aquela pessoa que se você encontrasse, mudava de lado na rua para não ter que olhar pra ela? É exatamente essa, que você precisa tirar do depósito do lixo. Vamos fazer como aquela moça que orienta, em um programa de televisão, a fazer limpeza; vamos colocar um balde verde – para as coisas que devem ficar; um balde amarelo, para as doações; e, um balde vermelho que devemos descartar. Então, essa pessoa, que você, não quer encontrar, vamos colocar no balde verde, porque você precisa rever um pouco mais, porque ela está na parte do lixo, de seu coração. Talvez ela precise muito de oração – ore por ela, fazendo isso, sua paz começa a chegar: aquelas situações e pessoas que precisam ser colocadas no balde amarelo, não o faça, sem fazer a análise do porquê ela está lá. Já parou pra pensar que talvez esteja em você a causa de ela estar no lugar errado no coração? Veja bem: as que você, de cara, já vai colocar no baldinho verde – o do bem querer, do que realmente merece amor, dê a ele ou a ela mais amor.

Os que você colocaria nos outros baldinhos, faça uma análise profunda de seus sentimentos por ela. Será que não tem rondando por aí, um pouco de inveja, e, seu orgulho é grande demais para ver isso? A vida nova, a vida da verdadeira felicidade, não é aquela que te traz carro novo, casa grande com piscina e avião e muita badalação. A vida nova, a verdadeira mesmo, é aquela que a família é valorizada, que seu coração fica leve, que sua mente vibra ao ver as coisas que Deus fez. E por falar nisso, como andam teus sentimentos com a Natureza? Tens observado, quanta beleza Deus nos coloca à disposição a cada dia? Demos graças ao Criador por toda beleza e saibamos pedir. Na maioria das vezes, pedimos e recebemos, por tanta insistência, Deus nos dá, mas os pedidos, podem nos trazer ensinamentos pesados. Sobre isso Emmanuel, o grande Mentor de Chico Xavier, comentando o Versículo de Mateus 20:22, quando Jesus responde: “Não sabeis pedir”:
A maioria dos crentes dirige-se às casas de oração, no propósito de pedir alguma coisa.

Raros os que aí comparecem, na verdadeira atitude de filhos de Deus, interessados nos sublimes desejos do Senhor, quanto à melhoria de conhecimentos, à renovação de valores íntimos, ao aproveitamento espiritual das oportunidades recebidas de mais Alto (Emmanuel/Chico, 2015).

Sejamos sábios nesta oportunidade que a Divindade nos oferece neste novo ano. Sermos felizes, nossa maior Meta!

Relacionados

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...

Os movimentos do coração

Quando chegamos a esse planeta, viemos por necessidade. Pedimos para voltar por compromissos assumidos com quem não se deve falhar: o Pai Maior. Isso...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Afinal de Contas Que Canal é Esse?

Canal é um dispositivo hidráulico usado para transporte de água, muito conhecido de todos nós, desde a primitiva levada de terra, até os canais...

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...