fbpx
29.1 C
João Pessoa
Início Emerson Monteiro Um Natal alegre

Um Natal alegre

Ainda que esteja sozinho, dê sua chance à felicidade neste Natal. Quanto de maravilha viver, dispor da saúde, conduzir a família, saber das belezas das concretizações espirituais que alimentamos até chegar, na caminhada desta vida. Saber dos filhos que crescem e também viverão experiências e sonhos. Ouvirão as músicas da natureza, no trinar dos pássaros, no desfilar dos dias pela espiral do tempo. Olhar com olhos de boa vontade as grandezas do infinito, na claridade dos astros no firmamento ilimitado. Pisar firme o chão das nossas realizações, e mais o que virá, à medida dos nossos passos. Otimismo a sorver da água que alimenta e faz sobreviver nossos corpos. O pão de todo dia, conforto que nutre de esperança as almas pela estrada do conhecimento. A dádiva da presença dos amigos, mesmo que distantes, porém guardados no aconchego dos corações. O refazimento dos erros, dos quais aprendemos a não repetir, e nutrimos o propósito de recomeçar as jornadas, fieis aos princípios das verdades maiores. A luz de nossos lares, sempre festas de oportunidades e união, que assim queremos constituir. As mensagens benfazejas de tantos mestres que nos visitam, iluminando as sociedades humanas em vias de chegar à paz coletiva no mundo inteiro. A tranquilidade de espírito, prazer das vontades em andamento. O amor que estrutura os seres da existência, nas ações da cordialidade plena, carinho dos relacionamentos. As saudades que guardamos no íntimo da consciência, lugar privilegiado daqueles que nos conquistaram e seguirão imortais dentro de nós. A certeza valiosa dos dias melhores que abrem as portas a cada instante, na condição do otimismo inteligente dos que querem imaginar os desejos de perfeição manifestados nas obras da Criação. Enfim, universos de fulgor que nos cabem construir do quanto de possibilidades herdamos de um Pai maior, rei cósmico da Eternidade, na música superior que conduzirá ao caminhar das multidões, sentidos positivos de abraçar a serenidade e amar como razão de estar aqui e ser feliz.

 

Relacionados

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

O justo fruto das nossas ações

O ímpio recebe pagamentos enganosos, mas quem semeia a justiça colhe segura recompensa. Provérbios 11:18 Ao chegar da escola, ainda contrariada por causa de alguma...

O pato e a garrafa

Nas técnicas adotadas pelo Zen Budismo existem os koans (pequenas histórias enigmáticas destinadas a confundir o intelecto até que apreenda que existe dimensão além...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...