fbpx
23.1 C
João Pessoa
Início O PREÇO DOS COMBUSTIVEIS
Array

O PREÇO DOS COMBUSTIVEIS

 Por João Vicente Machado

A imprensa noticia o nono aumento em 2020 do Gás Liquefeito de Petróleo- GLP, ou gás de cozinha como queiram. Como ainda estamos no dia 30/12 e o ano  não findou, ainda há espaço para mais um aumentozinho, quem sabe?

A referência aos combustíveis fósseis  nos traz à mente a PETROBRAS, que vem sendo objeto de desmonte por parte do governo pós golpe parlamentar. O processo teve inicio com Fernando Henrique Cardoso-FHC que numa adesão incondicional aos ditames do Consenso de Washington, gestado nos escaninhos da Escola de Chicago, de onde era anunciado ao mundo os princípios econômicos de Francis Fukuyama e Friedrich Hayek, que  apregoavam  o fim da história,  a derrota final do socialismo e a vitória triunfal  do neoliberalismo.

A Petrobras foi criada por Getúlio Vargas em 1953 e em 1960/1970, o Brasil que resolvera incentivar o transporte terrestre como novo modal de transportes, como produzia pouco óleo bruto,  na chegada das montadoras de veículos automotores no governo Juscelino Kubitschek-JK, foi obrigado a importar combustíveis para atender a demanda interna.

Daí em diante a prospecção cresceu exponencialmente, estendendo-se para a plataforma submarina, onde a Petrobrás desenvolveu tecnologia de ponta em águas profundas, ampliou sua frota marítima perseguindo até alcançar a  tão sonhada   autossuficiência que chegaria com   o Pré Sal.

 

Simultaneamente as forças antinacionais operavam nas sombras, para  desmontar não somente os ativos físicos da Petrobrás, como também  o seu precioso e capacitado  capital humano, sem similar no mundo da prospecção e do refino de petróleo.

No governo de Fernando Henrique Cardoso com a conivência e a cumplicidade do Congresso Nacional, foi promulgada a chamada Lei do Petróleo de n° 9478/97 de 06/08/1997 que, além de flexibilizar a política para o petróleo, criou  o Conselho Nacional do Petróleo- CNP  e a Agencia Nacional do  Petróleo ANP  que  passariam a partir de então,  a dar as cartas na prospecção e refino do petróleo.

A partir de então foi quebrado o monopólio estatal e o capital internacional passou a transitar celeremente e o fato é que, enquanto os países produtores são vitimas de toda espécie de sabotagem para entregar seu ouro negro e o defendem se necessário no fúsil, o Brasil está acabando de entregar com as próprias mãos a nossa soberania no setor, sem dar um tiro sequer.

O establishment elegeu meia dúzia de trombadinhas da própria convivência deles e,  investido no papel de paladino moral, repercutiu diuturnamente através da imprensa oficial,  ilícitos que deveriam ter sido apurados, julgados e os seus autores uma vez culpados, que fossem punidos exemplarmente.

Ao invés disso, transformou-os em perigosos carrapatos para justificar à opinião pública,  a necessária  matança da vaca para acabar o pernicioso  carrapato.


No processo criminoso de desmonte da Petrobrás e segundo palavras do presidente executivo da estatal, Roberto Castello Branco, “a Petrobrás espera concluir a venda de 08 refinarias até o final de 2021.” Naquilo que eles chamam descaradamente de “Plano de Desinvestimento”. 

A estatal vai fazer um caminho completamente inverso dos países produtores, desinvestindo ao invés de investir, ou seja, vai crescer como rabo de cavalo, para baixo.

Quando o atual governo é tachado de desgoverno, os bolsominions ficam apopléticos e põem  a culpa  até em  Tomé de Sousa pelo fracasso da aventura da eleição de um despreparado. Esse  não é o governo do faz e sim o do desfaz; não é o governo do constrói e sim do destrói; não é o governo do sim, é o governo do não; não é o metro de 100cm e sim de 90cm; não é o quilo de 1000g e sim o quilo de 900g.

Você que nos lê, precisa refletir muito sobre isso e perceber que o país esta sendo transformado numa grande fazenda e que se os governantes não têm a mínima responsabilidade, o mínimo escrúpulo, nós nação, nos povo temos obrigação de nos defender.

Consulta: economia.uol.com.br

revistasep.org.br

noticias.r7.com

Fotografias: mundovestibular.com.br

g1.globo.com

fogas.com.br

Artigo anteriorFim de Ano
Próximo artigoA luz que nunca se apaga
Relacionados

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...