fbpx
29.1 C
João Pessoa
Início Notícias Eleições de Novembro

Eleições de Novembro

 

                    

 Por: João Vicente Machado   

  Ontem foi o prazo final concedido pela justiça eleitoral para a realização de convenções partidárias, visando o registro oficial de candidaturas eletivas às eleições municipais de novembro próximo.

  Serão eleitos em eleições majoritárias e proporcionais, prefeitos e vereadores respectivamente, que irão gerir os destinos dos municípios brasileiros, pelo período de quatro anos. 

  No nosso processo eleitoral, os mandatos têm duração de quatro anos e não são reversíveis como em alguns países, onde o partido pode, por decisão dos eleitores, substituir os mandatários que não tenham correspondido às suas expectativas, tanto na esfera executiva como na esfera legislativa.

   No Brasil, os cargos executivos têm sido mais sedutores por ser o carro chefe da gestão, relegando sempre  os vereadores a um plano secundário numa dependência  espúria sem que a tão falada independência  dos poderes se materialize.

   O cuidado na escolha dos seus representantes cresce enormemente a cada eleição, exigindo dos os eleitores uma enorme responsabilidade, que a bem da verdade não tem sido uma prática.

 Vivemos num país de desigualdades sociais profundas, onde os direitos fundamentais da população têm caráter inviolável, intemporal e universal, remontando ao século XVIII a,C e expresso no código de Hamurabi,  uma obrigação do gestor  que nem sempre são prestados.

  A constituição federal de 1988 trouxe em seu título II, direitos e garantias fundamentais, subdivididos em cinco capítulos:

       01-Direitos individuais e coletivos;

       02-Direitos sociais;

       03-Direitos de nacionalidade;

       04-Direitos políticos;

    05-Direito relacionados à existência, organização e a participação em partidos políticos, entre outros.

  Sem pretender polemizar, podemos afirmar que muitos dos direitos fundamentais prescritos na nossa constituição, não são prestados, ou deixam muito a desejar.  

 Educação, saúde, trabalho, previdência social, lazer, segurança, proteção à maternidade e à infância e assistência aos desamparados, para não citar os demais, são  direitos  negados ou descumpridos pela imensa maioria dos gestores.

   Portanto, a escolha que se aproxima no próximo mês de novembro, pode ser efetivada se o eleitor tiver em mente o acesso a esses direitos e se tiver um olhar seletivo conferido pelo tempo.

   Nessa época, as oligarquias que exploram o povo secularmente, se articulam em bloco e saem  à cata de votos apostando na fragilidade social da grande massa, acenando com benefícios imediatos efêmeros de cunho financeiro, gastando uma fortuna na compra pura e simples de votos.

  Nesse momento o seu voto pode valer quatro anos ou apenas um dia. Valerá quatro anos se você escolher e votar corretamente no seu candidato. e a partir daí acompanhar o destino do seu voto, cobrando sempre a responsabilidade assumida,  e mensura-la   através de um balanço entre as propostas e compromissos que ele acertou com você nas urnas e o que efetivamente   realizou  durante o mandato.

   O voto valerá apenas um dia, se você trocar o seu futuro e o futuro dos seus filhos por dinheiro. Nesse momento, você além de vender a sua dignidade, estará vendendo o seu direito de cobrança, não tendo nada mais a reclamar.

   Aquela falácia enganosa que todo político é igual, porque não é! A própria classe dominante, através dos grupos econômicos de sua propriedade, criam fantoches, ventríloquos, arautos, saltimbancos, mamulengos e através dos  meios de comunicação, uma  concessão pública conseguida com a influência que você com seu voto errado o presenteou, repercute com o auxilio das  milícias virtuais  e das  seitas pentecostais esse conceito.

  Chafurdam tanto a política, que inculcam em você a ideia que você ainda comete a ingenuidade de difundir: “odeio política”!

  Você passa a odiar a política e ele, o político que meteu isso na sua cabeça, além de não odiar a política, se elege em toda eleição, se locupleta, lhe engana e segue impávido se elegendo.

       Nós já temos um candidato, e você?


 

Relacionados

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...