fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início Luiz Célio Rangel Negacionismo: vírus devastador que pode até matar

Negacionismo: vírus devastador que pode até matar

Negacionismo é o ato de rejeitar terminantemente e/ou desconsiderar um fato ou conjunto de fatos notadamente bem aceitos por convenções científicas ou acadêmicas. Na maioria das vezes isso acontece em razão de crenças limitantes, superstições ou pelo desconforto ocasionado em relação à realidade contextual.

No Brasil, a política de extrema-direita ou extremismo está associado ao dogmatismo, ao fanatismo e as tentativas de impor ações políticas que preconizam soluções extremas e radicais para problemas socioeconômicos e do Direito, com vistas a desjudicialização e a desobediência à Constituição Federal.

Em outras palavras, a mente negacionista-extremistas se recusa a dar crédito às Verdades Científicas – uma construção racional com base em métodos intersubjetivos que, por seu rigor metodológico, permite a qualquer investigador científico obter resultados iguais ou muito semelhantes, ao repetir as mesmas operações logico-matemáticas experimentais.
Uma condição imprescindível para a formulação do conhecimento científico é a descrição da realidade, independentemente das conveniências do investigador.

Os negacionistas não sabem, ou não querem saber, diferenciar o conhecimento científico racional de experiências pessoais utópicas, preferindo acreditar nesta última, como fonte de toda a verdade possível.

O que leva alguém a negar fatos e evidências científicas?
Que crenças e interesses orientam os negacionistas a disseminarem ideias sem nenhum compromisso com a realidade científica?
Acredita-se que. na maioria das vezes, o negacionismo seja norteado por crenças sectárias, extremismo político-ideológico, tanto da extrema direita como da extrema esquerda, ou até mesmo por má fé da politicalha indecente dos políticos conhecidos pelo aposto de “baixo clero”.

A negação peremptória foi estudada por Sigmund Freud e interpretada como sendo um mecanismo de defesa psicológica, com a finalidade de reduzir qualquer manifestação capaz de colocar em perigo a integridade do ego do sujeito.

A origem dessa negação reside na angústia ocasionada por insistir em não reconhecer o tal fato que está acontecendo. Uma mente negacionista age como se nada tivesse acontecido. A partir disso, na maioria das vezes, é comum está associada ao comportamento autoritário, prepotência, autocracia, arrogância, casuísmo em sua forma de pensar e agir.
É comum o negacionismo ter como base teorias conspiratórias, publicizando informações inexatas ou adulteradas (fake news) sobre um determinado assunto. Essas “teorias” afirmam trazer a “verdade oculta” e alegam que essa “verdade” foi escondida por uma grande conspiração, com objetivo de trapacear pessoas e/ou instituições. O pior de tudo é que muita gente trata a internet como se fosse uma espécie de oráculo, acreditando que, se está nas redes sociais, então é pura verdade.

Nesse sentido, é comum entre os negacionistas a propositura de debates desnecessários sobre os fatos e assuntos que desejam criar controvérsias.

Modernamente, a onda negacionista contra a ciência vem à tona com novas temáticas:
• Os negacionistas das mudanças climáticas e do aquecimento global;
• Os negacionistas da transgenia (transgênicos);
• Os negacionistas terraplanistas (acreditam que a terra é plana como um disco);
• Os negacionistas da pandemia do COVID 19;
• Os movimentos negacionistas antivacina.

DO AQUECIMENTO GLOBAL E DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS:
Admitir verdades científicas sobre as causas humanas do aquecimento global, como fator preponderante das mudanças climáticas, envolve, sobretudo, modificações de hábitos nas pessoas, assim como na política econômica, na indústria e no comércio, o que exige rever comportamentos e atitudes já cristalizadas em nosso modo de vida.

Para os negacionistas, a , sobretudo porque suas ações não demandam nenhuma racionalidade, nenhum esforço ou nenhum sacrifício pessoal e sobretudo pode agradar facções da extrema direita.

DA TRANSGENIA:
A produção de transgênicos, embora polêmica, nada mais é do que uma evolução do melhoramento genético convencional, pois permite transferir características de interesse agronômico entre espécies diferentes. Assim, transgênico é sinônimo para a expressão Organismo Geneticamente Modificado – OGM.

Pesquisas coordenadas pela Organização Mundial da Saúde reconhece que os alimentos transgênicos comercializados não apresentam riscos à saúde humana. Tais produtos já fazem parte de nossas vidas há mais de três décadas.

DO TERRAPLANISMO
Terraplanismo um termo anticientífico e negacionista utilizado para explicar que a Terra é plana. No Facebook, possuía mais de 70 mil curtidas e um número considerável de postagens defendendo a teoria.
Por mais que pareça uma piada, movimentos como esse podem ter consequências graves para a sociedade em geral, desinformando e alienando. O descrédito na ciência pode, com o tempo, levar a uma população passiva em relação a outros temas de relevância pública.

DAS VACINAS E DA ATUAL PANDEMIA:
As falácias e a boataria inconsequente, impulsionados pelos negacionistas, se apoderam das redes sociais, divulgam que as vacinas são inseguras, que introduzem chip no organismo ou que alteram o nosso DNA. O próprio Presidente da República, em uma de suas entrevistas insanas, quando perguntado se iria se vacinar respondeu: “Injeção, só de ânimo”, “Sei lá, se eu tomar essa vacina posso até virar jacaré”.

É consenso entre cientistas e gestores que a pandemia no Brasil cresceu muito, impulsionada por essas fake news, que põem em xeque a segurança das vacinas, especialmente da CoronaVac, apesar das vacinas terem salvado milhares de vidas ao longo dessa pandemia com a efetivação da campanha de imunização.

Como se tudo isso não bastasse, vivemos um período de crises humanitárias, econômicas e pandêmico-sanitárias mundiais, e, no dia a dia dos brasileiros, uma crise política sem precedentes. É notório e inegável que os Três Poderes da República, já há muito tempo convivem em explicitar desarmonia. É de domínio público que o mau exemplo, sem precedentes históricos, advém do Poder Executivo. Pelo que se dá a conhecer, temos um governo que sonega e escamoteia informações, que tripudia e faz pouco caso da morte de milhares de brasileiros e desdenha do luto e do sofrimento de seus familiares. Que efetiva, um projeto de “necropolítica”, isto é, quando o Estado escolhe quem deve viver e quem deve morrer. Aproveitam-se da pandemia, tocam projetos para extinguir direitos dos povos indígenas, dos negros, dos grupos sociais minoritários. Aproveitam-se da pandemia para extinguir direitos, acentuar privilégios, destruir o meio ambiente e afrontar a democracia.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
A polarização ideológica incentivada por um grupo de políticos de direita, jamais obteve tamanha evidência na história político-partidária brasileira. A efetivação do chamado Gabinete do Ódio, sob os auspícios do Palácio do Planalto, tem demostrado identificação, habilidade e predisposição por regimes autoritários, extremistas e negacionistas. Este fato por si só, configura motivo suficiente para se implementar urgentes campanhas de desintoxicação dos sentimentos de ódio e/ou incitação à violência, plantados subliminarmente por fake news ou explicitamente por ações com vistas a mobilizar seguidores dispostos a “qualquer coisa” para ver o “circo pegar fogo”.

Os grupos negacionistas-extremistas são especialistas em produzir polêmicas sobretudo pelas redes sociais e tornaram-se grandes divulgadores das fake news, geradoras de desinformação e/ou crenças limitantes. Pelo que se dão a conhecer, seguem à risca as teorias de Joseph Goebbels – Ministro da Propaganda Nazista: “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”.

Na atualidade, a ciência vem sendo posta à prova desnecessariamente. Hoje em dia, fatos inquestionáveis tornaram-se questionáveis e conceitos que julgávamos óbvios são questionados.

Os extremistas e os negacionistas trabalham diuturnamente semeando descrença à ciência, amplificando antíteses esdruxulas com muita veemência e agressividade. O certo é que quanto mais as pessoas aprenderem a pensar criticamente, menos gente propagará essas desinformações.

A Filosofia, a História e a Sociologia da Ciência e da Tecnologia devem estar na base curricular, devem nutrir e fomentar nossa prática docente.
A lúcida compreensão dos argumentos que norteiam uma discussão crítica pode nos oferecer maior confiabilidade à ciência.

RESUMO:

● O negacionismo é um conceito que explica a ação de uma pessoa em negar fatos amplamente estudados e comprovados, tanto no aspecto histórico quanto de evidências científicas.
● O extremismo, frequentemente está associado ao dogmatismo, ao fanatismo e as tentativas de impor ações políticas que preconizam soluções extremas e radicais.
● Entre as características básicas do negacionismo estão: a manipulação de informações, a utilização de falsos especialistas e o embasamento em teorias conspiratórias.
● O negacionista assume uma postura irracional, pois prefere acreditar em fake news, sem nenhuma comprovação, do que na ciência.
● Na história, destaca-se o negacionismo do Holocausto.
● Na ciência, destaca-se o negacionismo do aquecimento global e o da esfericidade da Terra.

                                                                                                       Revisão de texto: Nilma Lima

 

Relacionados

AMOR SEM LIMITES: na saúde e na doença, na alegria e na tristeza…

Acredito que apenas ter saúde não é garantia de felicidade plena, posto que, apenas o amor verdadeiro pode certificar à felicidade integral. Assim, podemos...

A esperança agonizante de um povo sofrido

Dificilmente, fora do meu ciclo familiar, me pronuncio em questões pertinentes à política partidária. Aprendi a manter um silêncio obsequioso sobre essas questões com...

A MOÇA, OS MOÇOS, O SÁBIO E O BARQUEIRO

Ouvi essa história contada por um ancião chinês, conferencista do XX Congresso Panamericano de Acupuntura Tradicional Chinesa (México-2019). As regras do congresso eram por demais...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...