fbpx
27.1 C
João Pessoa
Início Ronilson Paz Histórias e curiosidades da árvore nacional, Pau-Brasil

Histórias e curiosidades da árvore nacional, Pau-Brasil

O pau-brasil é uma leguminosa, da Família Fabaceae, da espécie Paubrasilia echinata Lam., que também apresenta os nomes populares de ibirapitanga, arabutã, brasilete, pau rosado, pau vermelho, pau de pernambuco, árvore do brasil, ibiripitinga, sapão, imirá piranga, muirapiranga, orabutã, pau pernambuco, ocorrendo na Mata Atlântica Costeira (floresta estacional semidecídua e floresta ombrófila densa), nos Estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Sergipe. Os índios chamam o pau-brasil de ibirapitanga, que em tupi significa madeira vermelha.

Esta árvore apresenta o cerne de coloração avermelhada, por isto o corte do pau-brasil para a obtenção de sua madeira e sua resina (extraída para uso como tintura em manufaturas de tecidos de alto luxo) foi a primeira atividade econômica dos colonos portugueses na recém-descoberta Terra de Santa Cruz, no século XVI e que a abundância desta árvore no meio a imensidão das florestas inexploráveis teria conferido à colônia o nome de Brasil.

De fato, entre os séculos XVI e XVIII oficialmente foram cortadas no Brasil quase 500 mil árvores, com cerca de 15 metros de altura cada. Dentre os europeus envolvidos com o comércio do pau-brasil, os holandeses foram os que mais se destacaram nessa atividade, tanto pela extração de corantes, como pela utilização deles nas fábricas. Atualmente, o pau-brasil é muito utilizado na fabricação de arcos de violinos.

A instalação das usinas de cana-de-açúcar e do café, além do crescimento populacional, no Brasil Colonial, bem como do desmatamento de grandes extensões de Mata Atlântica na faixa litorânea para a colonização, que diminuiu as áreas de ocorrência da espécie, quase levaram à extinção desta espécie. Por isto, hoje o pau-brasil encontra-se na lista da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), na categoria em perigo, e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), na categoria de espécie ameaçada de extinção na categoria vulnerável, por isto sendo considerado por este órgão como árvore imune de corte.

O pau-brasil apresenta certas características botânicas bastantes peculiares. As flores amarelas com pintas vermelhas são muito perfumadas, que fazem delas uma excelente atratora de abelhas melíferas. O caule apresenta espinhos. O fruto é seco totalmente coberto por acúleos curtos e finos (espinhos) e possui deiscência explosiva (quando prontos, as sementes são liberadas como se fosse uma explosão).

O plantio do pau-brasil deve ser misto, associado com espécies oportunistas e tolerantes, ou em faixas abertas em vegetação secundária (e plantada em linha). Não se recomenda, portanto, o plantio puro a pleno sol. É uma planta que possui crescimento muito lento, não ultrapassando cerca de 2,5 metros de altura aos 2 anos de idade.

Para a conservação do pau-brasil, a Lei nº 6.607, de 7 de dezembro de 1978, declarou ele como árvore nacional e instituiu o Dia do Pau-Brasil o 3 de maio de cada ano, bem como determinou ao Ministério da Agricultura a implantação, em todo o território nacional, de viveiros de mudas de desta árvore, visando à sua conservação e à sua distribuição para finalidades cívicas.

Na Paraíba, o Decreto nº 22.881, de 25 de março de 2002, cria a Estação Ecológica do Pau-Brasil, situada no Município de Mamanguape, considerando a existência de um importante remanescente de Mata Atlântica, onde o pau-brasil é a espécie predominante.

Em João Pessoa, na Capital da Paraíba, na Mata do Buraquinho, há um pequeno bosque onde podem ser encontradas várias árvores de pau-brasil. Assim, com pequenas iniciativas conseguiu-se manter um número de árvores que ajudarão na recuperação desta espécie que deu nome à nossa Nação, época em que todo o dia era dia do pau-brasil e hoje ele só tem o dia 3 de maio, parafraseado aquela música famosa de Jorge Ben Jor.

 

Relacionados

Animais exóticos em cativeiro oferecem riscos aos seres humanos

A criação de animais silvestres em cativeiro é permitida, desde que autorizado pelo órgão ambiental competente, sendo infração administrativa, com multa variando de R$...

Afinal, a produção de energia eólica é realmente “limpa”?

O termo “energia limpa” é atualmente designado para indicar os sistemas de produção de energia renováveis que excluem qualquer tipo de poluição, principalmente por...

A arborização urbana deve ser feita com responsabilidade

Fonte: Foto Internet A arborização urbana é um excelente instrumento para atenuar as temperaturas, principalmente em locais com clima mais árido. Isso por que as...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...