fbpx
29.1 C
João Pessoa
Início Ronilton Lins A Discussão sobre o clima. O que nos interessa?

A Discussão sobre o clima. O que nos interessa?

No dia 22 e 23 desse mês realizou-se nos  USA  o encontro dos líderes mundiais com o objetivo de discutir  as mudanças climáticas que afetam o planeta e formalizar  assinatura de protocolos, um cumprimento de uma promessa de campanha do mandatário estadunidense.

Presidente Joe Biden Presidindo a Cúpula do Clima 2021.Fonte:WIKIPEDIA


A meta dos Estados Unidos é cortar as emissões de carbono em 50 a 52% abaixo dos níveis de 2005, até o final desta década, colocando o país novamente no pacto climático de Paris. A equipe de Biden tem levado sério o compromisso contra o aquecimento global, sendo essa sua decisão festejada por cientistas e ativistas de todo mundo.

Os países estão cada vez mais  preocupados com a temática ambiental, já diz o ditado: “a natureza não leva desaforo”, o exemplo mais cristalino que estamos vivenciando é a disseminação da Covid 19. De acordo com o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), a frequência com que os microrganismos patogênicos (ex. bactérias e vírus) são transmitidos de animais para humanos está aumentando em decorrência das ações humanas.

O PNUMA ainda aponta pelo menos sete principais fatores que proporcionam o aparecimento de doenças zoonóticas, incluindo o aumento da demanda por proteína animal, a intensificação agrícola insustentável, as mudanças climáticas, o manejo insustentável dos recursos naturais e a exploração da vida selvagem. Dessa forma é notável a relação entre a COVID-19 e a degradação ambiental, ficando clara a necessidade de adoção de práticas sustentáveis que ajudem a reduzir a degradação do meio ambiente.

Embora a variação de temperatura terrestre tenha ocorrido naturalmente, inúmeros cientistas vêm atribuindo o aumento atípico da temperatura do planeta às atividades antrópicas, ou seja, àquelas realizadas pelo ser humano, resultantes do aumento econômico e demográfico nos últimos dois séculos.

A partir da revolução industrial  por volta de 1850, as atividades humanas têm acentuado a concentração daqueles gases na atmosfera. Tal acúmulo tem se dado num período muito curto. Estima-se que antes da revolução industrial, por volta de 1700, a concentração de CO2 era de 260ppmv (partes por milhão de volume), e que hoje está em torno de 417ppmv2. As atividades antrópicas também acrescentam outros gases com essa mesma propriedade na atmosfera, como, por exemplo, os hidrofluorcarbonos (HFCs), os perfluorcarbonos (PFCs) e o hexafluoreto de enxofre (SF6). Estes, somados aos mencionados anteriormente, constituem os chamados “gases de efeito estufa”.

Importante frisar ainda, que do total estoque de CO2 e similares emitidos por ações antrópicas, grande parte é proveniente da queima de combustíveis fósseis (derivados do petróleo, carvão natural e gás natural). Além das emissões originadas pela combustão, existem outras fontes de emissão de gases de efeito estufa, como as atividades agropecuárias, os processos industriais, a disposição de lixo em um  desmantelo que será lesivo à sustentabilidade.

Em decorrência das mudanças climáticas, catástrofes poderão assolar a humanidade: em razão do derretimento das calotas polares, o nível dos oceanos subirá, inundando diversas regiões litorâneas e ribeirinhas. Deslocando populações urbanas e rurais em todo o planeta, que serão reduzidas à condição de refugiados ambientais.

As florestas são consideradas exemplos clássicos de limpeza desses gases de efeito estufa. No processo químico da fotossíntese, elas absorvem o CO2, retendo o carbono nos troncos das árvores e liberando o oxigênio. Assim, contribuem sobremaneira para a retirada de dióxido de carbono da atmosfera, um dos principais vilões do aquecimento global, dai a sua indiscutível importância.

Finalizo com essa musica, interpretada por Fagner e Zé Ramalho:

“Tombam árvores, morrem índios, 

Queimam matas, ninguém vê

Que o futuro está perdido

Uma sombra e não vai ter

Pensem em Deus, alertem o mundo

Pra floresta não morrer

 Devastação é um monstro

Que a natureza atropela.”

Compositores: Sebastiao Dias

                                                Letra de Canção da Floresta © BMG Rights Management US, LLC, EMI Music Publishing

Relacionados

A importância da Mata do Buraquinho na cidade de João Pessoa

A preocupação com a conservação da biodiversidade decorrente das constantes perturbações nos ecossistemas naturais tem crescido exponencialmente, uma vez que, como forma de minimizar...

O mundo discute sustentabilidade em Dubai

Sustentabilidade! Uma palavra da moda. Ouvimos falar quase que diariamente: cidade sustentável, vida sustentável, indústria sustentável, desenvolvimento sustentável. As cidades são por sua natureza insustentável,...

A espera do vento de Aracati no sombreiro:um legado do sertanejo

Sou filho de sertanejo com raízes fincadas na minha Jatobá, no interior da Paraíba, conhecida por São José de Piranhas, lá no meu sertão...

2 COMENTÁRIOS

  1. Situação preocupante desde sempre. Em 2007 Fortaleza só possuía 14% da sua mata nativa e as contruções avançam sem dar a menor importância para o meio ambiente. Agora nem o Ministério quer saber, estão acabando com tudo. O Covid deu uma trégua a natureza, os homens se recolheram e os bichos voltaram a ocupar seu habitat invadido pelo egoísmo e a ganância. É preciso refletir.

  2. O bicho humano parece não se dá conta da devastação em nome da acumulação de dinheiro. A cada ano morrem nascentes, matas ciliares são devastadas, o assoreamento aterra o leito dos rios, a extração de areia líquida os aluviões dos cursos d’água periódicos, a floresta é derrubada, as dunas são desmontadas, os mangues cedem espaço à especulação imobiliaria e nada disso detém a destruição .
    Chega a nos causar receio de que a natureza que suporta tudo calada, vai se preparando para se livrar do gênero humano e depois se regenerar.
    Abra os dois olhos. “ a natureza não se queixa, ela se vinga”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Afinal de Contas Que Canal é Esse?

Canal é um dispositivo hidráulico usado para transporte de água, muito conhecido de todos nós, desde a primitiva levada de terra, até os canais...

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...