fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início Notícias O Pensador que resiste ao tempo

O Pensador que resiste ao tempo

Por: Flavio Ramalho de Brito

 

Trier é uma das cidades mais antigas da Alemanha. Em tempos remotos, chegou a ser uma das sedes do Império Romano. No final do século 18 a região foi ocupada, durante 16 anos, pela França. Foi em Trier que nasceu Santo Ambrósio, que é considerado um dos quatro Doutores da Igreja Ocidental (juntamente com Agostinho, Jerônimo e Gregório). Ambrósio foi o filósofo que, segundo Bertrand Russel, estabeleceu as bases das relações entre Estado e Igreja.

Mas, Trier também é a terra natal de outro importante filósofo, cuja silhueta decora as placas de sinalização do trânsito e os semáforos na área central da cidade. A estampa desse filósofo é reconhecível em qualquer parte do mundo, como se fosse um conhecidíssimo artista popular de fama internacional e a sua figura é colocada nos mais improváveis lugares e nos formatos mais diversos, como nos semáforos e “bus tours” de Trier.

 

Mas, nem sempre foi assim. Quando Karl Marx, o mais destacado filho de Trier, morreu, em 1883, em Londres, apenas onze pessoas estiveram presentes no seu enterro, no Cemitério de Highgate. Seu falecimento mal foi noticiado na imprensa da Inglaterra, país onde ele vivera por mais da metade da sua vida, ao ponto de um jornal britânico publicar que ele havia morrido na França.

O historiador Eric Hobsbawm, na sua obra “Como Mudar o Mundo – Marx e Marxismo”, relatou um fato interessante que demonstra a mudança na posição que Marx ocupava na época do seu falecimento e a influência que ele exerce, atualmente, em todo o mundo:

“No cemitério Highgate estão sepultados dois pensadores do século XIX – Karl Marx e Herbert Spencer – e, curiosamente, da tumba de um se avista a do outro. Quando ambos eram vivos, Herbert era considerado o Aristóteles da época, enquanto Karl era um sujeito que morava nas ladeiras mais baixas de Hampstead à custa do dinheiro do  amigo. Hoje, ninguém sequer sabe  que Spencer está sepultado ali, enquanto peregrinos idosos, vindos do Japão e da Índia, visitam o túmulo de Karl Marx, e comunistas exilados iranianos e iraquianos fazem questão de ser enterrados à sua sombra” 

Karl Marx nunca participou de barricadas em revoltas armadas, também não era orador que empolgava as pequenas plateias para as quais discursava e se a sua influência no pensamento universal permanece praticamente inalterada passados quase 140 anos da sua morte isso se deve, unicamente, aos seus escritos.

Para Eric Hobsbawm, um dos principais comentadores do pensamento de Marx, autor de uma volumosa ‘História do Marxismo’:

“Não se pode dizer que ao morrer, em 1883, Marx tivesse propriamente fracassado, pois seus textos tinham começado a causar impacto na Alemanha e, principalmente, sobre intelectuais na Rússia. Entretanto, em 1883, havia pouca coisa que justificasse o trabalho de toda a sua vida. Marx havia escrito alguns panfletos brilhantes e a base de sua obra magna, inacabada, ‘O Capital’, trabalho que pouco avançou na última década de vida do autor. ‘Que obras?’, retrucou ele, acabrunhado, quando um visitante lhe perguntou sobre as suas obras.”

Com a queda do Muro de Berlim e o esfacelamento dos regimes do chamado bloco socialista do leste europeu, muitos que se opunham ao pensamento de Marx apregoaram que, em muito pouco tempo, as ideias do filósofo alemão seriam sepultadas pela poeira do tempo e esquecidas.  Mas não foi o que ocorreu. E dois escritores marxistas, separados por gerações, têm opiniões mais ou menos congruentes acerca do que aconteceu com a revitalização do pensamento de Karl Marx após o desmantelamento dos regimes comunistas na Europa.

Para o falecido historiador britânico Eric Hobsbawm, “o fim do marxismo oficial na União Soviética liberou Marx da identificação pública com o leninismo na teoria e com os regimes leninistas na prática. Ficou claríssimo que havia ainda muitas e boas razões para se levar em conta o que Marx tinha a dizer sobre o mundo”. 

O jovem filósofo marxista italiano Marcello Musto vai na mesma linha de Hobsbawm: “após a implosão da União Soviética, o cenário político também contribuiu para renovar a percepção a respeito dele. Com o fim do marxismo-leninismo, ele foi liberado, de fato, das correntes de uma ideologia infinitamente distante de sua concepção de sociedade”. 

Na última década, com a crise no capitalismo mundial iniciada em 2008, o nome de Marx voltou ter um renovado destaque. E à medida que se agrava a disparidade na distribuição da renda entre as regiões e as pessoas no mundo o pensamento do filósofo de Trier se torna cada vez mais atual porque, como escreveu Hobsbawm, “o mundo capitalista globalizado que surgiu na década de 1990 exibia, em vários aspectos vitais uma estranha semelhança com o mundo previsto por Marx no ‘Manifesto Comunista.


Artigo anteriorQUIEN SERÁ?
Próximo artigoEquívocos Eleitorais
Relacionados

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

A verdadeira face de Jesus

Em que pese a nossa condição de ateu, nascemos num lar cristão. Portanto não nos constrange revelar a nossa identidade com as práticas cristãs....

1 COMENTÁRIO

  1. Karl Marx foi um filósofo pensador que dissecou o capitalismo, rasgando-lhe as vestes que encobrem profundas contradições econômicas e sociais.Em que pese as tentativas de redução e relativização do seu papel histórico é tão atual como a 147 anos passados.
    Nem o aparelho de estado nem as condições de exploração, apesar de se transfigurarem continuam os mesmos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Trinta Navios de Dimas Macedo

Navegar, mergulhar e voltar à tona sempre foi um desafio na vida de Dimas Macedo. Os Navios construídos por ele navegaram do Rio Salgado...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...