fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início Notícias Retalhos Poéticos

Retalhos Poéticos

Por: João Vicente Machado

          A poesia popular quando escrita em cordel, tem uma longevidade muito mais elástica do que os versos preciosos de improviso dos cantadores e repentistas da autêntica cantoria de viola nordestina.    

    Muitas preciosidades da história do improviso se perderam ao longo do tempo, pois em virtude de não haver nenhum aparelho eletrônico que registrasse as cantorias, preciosidades em métrica e rima se perderam.

    Os únicos registros que se tem  dos  ícones da cantoria, como Lourival Batista e Pinto do Monteiro, são apenas depoimentos de apologistas, de memória privilegiada, que  mentalizaram versos esparsos para subsidio do registros  dos escritores que dissertaram sobre o tema, como foi o caso de Leonardo Mota e o próprio Otacílio Batista,  assim mesmo com algumas  distorções.

    Hoje, a escassez de inspiração me guiou para a obra de um dos maiores, senão o maior repentista da história, Severino Pinto, o Pinto do Monteiro. Pinto fez muitas cantorias  e hoje o que resta do seu acervo verbal, são retalhos de versos catados aqui e ali  e que vez por outra nos aparece 

   São estrofes soltas, fragmentos de memoráveis cantorias, que foram registrados da forma que já lhes falei, todavia são versos riquíssimos em métrica e rima, cada estrofe com a sua história.

   A primeira delas e outras mais, eu vi escrita nas paredes da Pousada dos Poemas lá em Monteiro onde já me hospedei algumas vezes e refere-se à palavra saudade; a terceira foi obtida num pé de parede dele com Louro do Pajeú.

    Há uma  outra que foi registrada num “ pé de parede “ que ele fez com o poeta João Furiba, e revela o ranço  de Monteiro com Sumé entre outras mais.  Vez por outra fica o registro e o reconhecimento do sítio a esses talentos da mais pura cultura do nordeste  brasileiro, riquíssimo em história, folclore, manifestações culturais diversas, e berço de um povo que enverga porém não quebra nem enferruja.

    Mas melhor do que ouvir sobre Pinto é ler o que Pinto deixou de legado à arte da poesia:



Eu comparo esta vida

à curva da letra S:

tem uma ponta que sobe

tem outra ponta que desce

e a volta que dá no meio

nem todo mundo conhece


Esta palavra saudade

conheço desde criança

saudade de amor ausente

não é saudade (é lembrança)

saudade só é saudade

quando morre a esperança


Aonde eu chego, não vi

Mal que não desapareça

Raposa que não se esconda

Bravo que não me obedeça

Letrado que não me escute

Cantor que não endoideça


Cantar com quem canta pouco

é viajar numa pista

com um carro faltando freios

o chofer faltando a vista

e um doido gritando dentro

atola o pé motorista


Minha corda não se estica

não se tora nem se enverga

da terra pro firmamento

meu pensamento se alberga

em um lugar tão distante

que lente nenhuma enxerga


Eu vou fazer uma casa

na Serra da Carnaíba

a frente pra Pernambuco

as costas pra Paraíba

só pra não ver duas coisas:

Nem Sumé, nem João Furiba


Há vários dias que ando,

Com o satanás na corcunda:

Pois, hoje, almocei na casa

Duma negra tão imunda,

Que a prensa de espremer queijo

Era as bochechas da bunda!

Relacionados

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

3 COMENTÁRIOS

  1. Antes da invasão dos meios de comunicação de massa, Lavras da Mangabeira e toda região foi cantada e versada pelos cantadores e repentista. De um saber ímpar conheciam a história do Brasil e do mundo que além de enriquecer as cantorias, ainda propagavam os contos e causos com a linguagem que o povo entendia facilmente, pois falavam o mesmo linguajar. Foram verdadeiros mestres na arte de ensinar e verdadeiros animadores na arte do entretenimento.Parabéns a esses artistas e a cultura do Nordeste. Viva!!!!

  2. Quando trazemos aos nossos leitores alguns artigos sobre a temática do mundo da poesia popular, da cantoria de viola e do repente, o fazemos com o propósito de manter vivo na lembrança do nosso povo, o potencial de cultura popular do nordeste brasileiro, que abarca o que é de mais puro e mais autêntico da cultura nacional.
    A nossa cantoria de viola, essa sim, sertaneja legítima, é uma manifestação cultural única no mundo.

  3. Repentistas e violeiros traduzem com os seus versos o sentimento é alma do povo. Porisso as cantorias são tão apreciadas principalmente no sertão. Pena que não tenham o devido apoio ďos
    responsáveis pela Cultura órgão inexistente neste desgoverno

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...