fbpx
28.1 C
João Pessoa
Início Duelo de Titãs
Array

Duelo de Titãs

 

Por: João Vicente Machado


   Diante da difícil situação em que nos encontramos, resolvi estabelecer um comparativo entre os extremos, mesmo contrariando o pensamento de Dom Helder Câmara que disse um dia: “os extremos se tocam.” Lênin, por sua vez, afirmou: o esquerdismo é a doença infantil do comunismo.  Mesmo assim, resolvi confrontar dois extremos, que a rigor são dois postulados econômicos de uma mesma matriz de pensamento. 

Um dos extremos é a figura amorfa de Paulo Guedes, enquanto o outro extremo é John Maynard Keynes, a meu ver, de maior envergadura intelectual. Escolhi dois economistas liberais sim, para não ser taxado de tendencioso, em virtude de ser um socialista convicto, Marxista/Leninista, que entende estar do lado certo da história. 

Não me venham argumentar que eu comparei coisas diferentes, pois ambos são economistas liberais, um com formação em Cambridge no caso Keynes e o outro, Paulo Guedes, com formação em Chicago, portanto um legitimo Chicago Boy, a escola neoliberal de Friedrich Hayek e Francis Fukuiama.

Procurei por curiosidade, algum livro escrito por Paulo Guedes, mas confesso que não encontrei. O meu desejo era ilustrar a postagem com cada um deles ao lado da sua obra, mas não me foi possível. Pelo visto Paulo Guedes não tem obra alguma que o credencie como pensador econômico.

Vamos então ao comparativo proposto, objeto deste texto: 

Keynes foi discípulo de Adam Smith e David Ricardo, os pais do modelo econômico liberal, enquanto Paulo Guedes é discípulo menor de Milton Friedman e Francis Fukuyama.



O curioso é ver dois economistas liberais, com um pensamento tão antagônico e divergente. 
    Enquanto Keynes se notabilizou por propor e até impor a presença do estado na economia, uma proposta heterodoxa incompatível com o pensamento econômico liberal, Paulo Guedes, além de pregar a ausência total do estado na economia, defende a alienação de todos os ativos estatais, até aqueles considerados estratégicos que país nenhum tem coragem de vender.

Por ocasião da grande depressão econômica de 1929, que teve como epicentro os Estados Unidos, o economista inglês John Maynard Keynes foi convidado pelo governo daquele pais  para emprestar os seus conhecimentos profissionais e em lá chegando, com o respaldo político do presidente Rooselvet, definiu como  objetivo a imediata intervenção do estado na economia, na contramão de todo receituário liberal.

Entendia ele que, nenhum ente privado se interessaria em investir, quer pelo volume do investimento, quer pela falta de perspectiva de retorno, sequer de médio prazo e somente o estado poderia fazê-lo. O resultado é de conhecimento de todos: Os Estados Unidos se recuperaram e o modelo usado por Keynes foi incorporado à política do New Deal, aplicada naquele país entre 1933 e 1937, além de servir de paradigma para a política de bem estar social, utilizada pela social democracia da Europa do pós-guerra, ou seja, foi um extremo que deu certo.

Paulo Guedes, por sua vez, surgiu na avalanche mais conservadora da história do Brasil, ocorrida com a fatídica eleição de Bolsonaro e vem se notabilizando como o arauto do apocalipse econômico. Até o presente momento tem se notabilizado pela destruição literal da nossa economia com a venda de ativos para pagar despesas correntes. 

Paulo Guedes


O serviço da dívida pública tem consumido metade do orçamento anual, em detrimento do nosso desenvolvimento, em todos os setores da economia, com o desmonte total da estrutura  de um país que eles receberam como a 6° economia mundial e com R$500 bilhões de reservas em caixa. Além disso, tem sido responsável pela geração constante de crises e  pelo terrorismo social, desrespeitando o pacto federativo, com a conivência de alguns estados governados por políticos oportunistas, incautos, despreparados e entreguistas. Paulo Gudes esteve pelo Chile  e como um dos donos do Banco Pactual, foi coparticipe  da derrocada da previdência daquele país, um receituário que ele trouxe para o Brasil com a reforma da previdência.

Concluímos lembrando mais uma vez que enquanto Keynes tirou a economia dos Estados Unidos da pior crise da sua história, com a intervenção enérgica do estado, visando  desenvolver um  mercado interno através de  emprego e renda, Paulo Guedes por sua vez, quer  varrer o estado da economia, para segundo ele, moderniza-lo.

Entre as duas teorias de uma mesma escola e por motivos óbvios, eu fico com o pressuposto Keynesiano,   e você?

  Fonte: O Capital; Ideologia Alemã/ Karl Max

O Estado e a Revolução; Esquerdismo doença infantil do comunismo/ Lènin

Teoria Geral do Emprego do Juro e da Moeda/ Keynes

Foto:https://1.bp.blogspot.com/

https://1.bp.blogspot.com/

Relacionados

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...