fbpx
28.1 C
João Pessoa

Pânico

Por: João Vicente Machado 
  Hoje, por força de ofício tive de vir a cidade de Patos, no sertão da Paraíba, tão merecidamente chamada de Capital das Espinharas.
  
  Nas minhas conversas com os  amigos e a família, tenho sempre ressaltado e enaltecido os rumos desenvolvimentistas tomado por Patos, uma cidade de apenas 120 anos, que já revela aspectos de cidade grande pelo seu porte garboso.

   Por ter de comandar e falar numa apresentação de trabalho para prefeitos e/ou representantes, precisei comprar uma bateria para o meu apontador e me dirigi ao shopping center recém inaugurado, muito bem estruturado e, de porte talvez maior do que o necessário. O meu espanto foi encontrá-lo semi desértico, ou seja, com uma frequência muito aquém da minha expectativa 

 Tirante os vendedores das lojas já instaladas, além do pessoal da limpeza, pouquíssimas pessoas, todas de máscara e algumas de máscara e luvas, depósitos de álcool gel que já falta, ou até mesmo garrafas de álcool espalhadas pelos corredores, lavatórios na desertificada praça de alimentação e o pior, o pânico estampado na fisionomia das pessoas silenciosas e tensas. 
     
 Espero que essa virose se dissipe logo, como ocorreu com todas as outras que já aconteceram na história e se dissiparam, porém insisto: c a l m a!  c a u t e l a! O grupo de risco não são todos e sim todos os idosos que somos.  

 CUIDEMOS DOS IDOSOS! Sem descuidar das crianças e dos jovens, muitas vezes assintomáticos,  ou seja, aos avós todo cuidado,  pois a vez agora é deles e não dos netos.  
     
 Tião Lucena escreveu um livro de título: Peste e Cobiça em que ele relata e depois Cristina Couto  corrobora e complementa com a sua narrativa no livro de sua autoria, A Tragédia de Princesa, como a epidemia da peste naquela cidade.

 Ambos enfatizam os efeitos deletérios do cólera, que surgiu fulminante em Princesa  Isabel, lá pelos idos de 1902, e o papel humanitário desempenhado pelo jovem médico cearense, natural da minha Lavras da Mangabeira,  o Dr. Ildefonso Correia Lima, neto da matriarca Fideralina Augusto Lima.
  
   Jovem recém chegado do Rio de Janeiro onde terminara o curso medicina, sem nenhum recurso  tecnológico propiciado engenharia médica como os que existem hoje em dia, salvou a vida de mais da metade da população de Princesa Isabel, do ataque da BACTÉRIA chamada Vibrião Colérico, tão violenta que tinha o pavoroso nome de Peste.
     
    Salvou metade porque tratava-se de uma bactéria, se fosse um vírus como o de agora, muito menos agressivo, teria salvado talvez a vida de todos, menos a dele próprio, que foi barbaramente assassinado no meio da rua, por um criminoso traiçoeiro e passional.  

    Mas isso é outra história para ser lida nos livro de Tião: Peste e Cobiça e o da conterrânea Cristina Couto: A Tragédia de Princesa, duas leituras muito interessantes e oportunas nesse momento em que um vírus, muito menos letal, com um viés muito mais econômico e mercadológico do que patológico, ganha notoriedade e provoca todo esse pânico desnecessário.

Artigo anteriorO milagre do verde
Próximo artigoSextou em pânico
Relacionados

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Processos eleitorais semelhantes?

As últimas eleições presidenciais realizadas nos Estados Unidos, aconteceram no ano de 2020 numa disputa ferrenha e num clima de discórdia acirrado, cenário nunca...

A verdadeira face de Jesus

Em que pese a nossa condição de ateu, nascemos num lar cristão. Portanto não nos constrange revelar a nossa identidade com as práticas cristãs....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

Trinta Navios de Dimas Macedo

Navegar, mergulhar e voltar à tona sempre foi um desafio na vida de Dimas Macedo. Os Navios construídos por ele navegaram do Rio Salgado...

Um pequeno fragmento da história da Paraíba

  Não poderia deixar passar em branco em nossa coluna, o aniversário de nossa querida Parayba . Não vou entrar em detalhes ou contestar nada...