fbpx
25.1 C
João Pessoa
Início Quem Falou O agro negócio brasileiro sofre reflexo da inercia ambiental

O agro negócio brasileiro sofre reflexo da inercia ambiental

O governo federal tem ancorado toda sua pauta de exportação nas comodities, entre elas o chamado agro negócio e o petróleo bruto.

Com a cotação do dólar em alta e o mundo necessitando de alimentos de forma exponencial, os grandes produtores agrícolas tem dirigido sofregamente a sua produção para o atendimento ao mercado externo, mesmo à custa da explosão dos preços do arroz, do milho e da carne, tanto bovina, quanto suína, avícola ou os embutidos.

No mesmo passo os sojicultores, cafeicultores, cacaueiros imbuídos do mesmo propósito, têm abarrotado os navios graneleiros com o seu produto e mandado para além mar.
Acontece que no mundo agrário o mote não é só exportar, pois com o desmonte da nossa indústria de transformação, todos os insumos agrícolas precisam ser importados.
Implementos, máquinas agrícolas, adubos e biocidas, sementes transgênicas entre outros, tudo é adquirido no mercado externo pois o brasil deixou de fábrica – los em nome do estado mínimo.

Se é verdade que o governo dá com uma mão, também é verdade que ele tira imediatamente com a outra, e adiciona ainda a esse cenário desfavorável, os crimes ambientais recorrentes que afastam os parceiros comerciais internacionais, todos eles signatários de tratados ambientais rigorosos.
Como represália têm ameaçado o país com a ruptura de contratos de exportação vigente, se negando até a assinar os próximos.

Não foi sem motivo que banqueiros economistas e produtores publicaram em 22/03/2021 uma carta aberta ao governo federal cobrando providências contra a crise sanitária, uma de suas fragilidades. O documento foi muito enfático e censurou publicamente o comportamento do governo federal, reclamando da leniência dos órgãos de governo para com as questões sanitárias e ambientais.

O brasil perdeu espaço na pauta de exportação de produtos advindos da indústria de transformação e pelo visto vai perder o galardão de grande produtor e exportador agropecuário, em que pese ter 40% da população abaixo da linha da pobreza. Ou seja, além de queda coice!

João Vicente Machado Sobrinho

 

Consulta:

lhttps://www.nexojornal.com.br/

G1

Relacionados

Era uma vez, no sentetrional reino do Sol Nascente

Apesar das juras de lealdade, Judas Calabar escondia no coração, porém, a inveja e o desejo de vingança. E assim ele fez.

O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços neurastênicos do litoral.

Morreu malvadeza durão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

A primeira entrevista publicada no Brasil

Em 1808, quando D. João chegou ao Rio de Janeiro, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal, trouxe na sua imensa bagagem...

Mês dos pais

Conceituam-se os fenômenos para atender às necessidades, sejam de mercado, sejam de conveniência, mas conceituar transforma o simples no complexo e o certo no...

O que é Depressão?

A depressão é um transtorno que envolve o corpo, o humor e os pensamentos. Ela interfere no cotidiano, nas relações sociais, nas relações familiares...

Macacos não transmitem a varíola

O Brasil está mais vez está enfrentando uma pandemia diferente. Dessa vez é a varíola dos macacos (do inglês monkeypox). Essa varíola apresenta sintomas...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Afinal de Contas Que Canal é Esse?

Canal é um dispositivo hidráulico usado para transporte de água, muito conhecido de todos nós, desde a primitiva levada de terra, até os canais...