fbpx
23.1 C
João Pessoa
Início Emerson Monteiro No trabalho do cambiteiro, o nascimento da rapadura

No trabalho do cambiteiro, o nascimento da rapadura

Desde logo, o próprio Word que cuida em desconhecer a palavra (cambiteiros), porquanto se trata de um termo de pouco ou nenhum uso mais nestes tempos de agora. Cambiteiros, aqueles trabalhadores que transportavam os feixes de cana do corte ao engenho, isto no lombo dos burros de carga, animais tão brutos quanto seus operadores. Espécimes treinados nesse afazer, munidos de alimárias equipadas de cangalhas e cambitos, pedaços de madeira fornida no formado de um “v”, em que, dois de cada lado, eram apostos os feixes de cana previamente montados pelos cortadores, amarrados com as embiras feitas da palha verde da cana que cortavam. Esses feixes iam até em cima da cangalha, até o suporte dos burros. Daí, partiam em tropas rumo do salão do engenho, do onde as canas seriam levadas às moendas e desfeitas na garapa.
Um ofício rude e por demais ingrato, porém respeitado no transcorrer das moagens. Essenciais nesse transporte, os cambiteiros marcavam presença todo tempo, a fim de abastecer devidamente o processo de fabricação da rapadura. Eram eles os primeiros a chegar, tão cedo amanhecia o dia. Arriavam seus burros defronte da casa grande, a retirar do quarto das cangalhas e cabrestos os arreios e equipar suas tropas, nas quais todo burro tinha um nome próprio, sendo assim comandados. Sempre dispostos, bem alimentados, agiam com extrema precisão naquele ofício, rápidos, forçudos e dóceis, apesar de firmes no compasso das ações.

Destarte, lembrei esses dias do valor ímpar dos cambiteiros nas moagens sertanejas, verdadeiros e audazes, a tropa de choque dos engenhos. De manhã aos finais de tarde, cumpriam à risca o compromisso desse abastecimento constante da cana desde o eito do corte ao início da linha de produção, e que bem que merecem um monumento aos que fizeram o ciclo da cana-de-açúcar do Nordeste brasileiro.

Relacionados

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

O justo fruto das nossas ações

O ímpio recebe pagamentos enganosos, mas quem semeia a justiça colhe segura recompensa. Provérbios 11:18 Ao chegar da escola, ainda contrariada por causa de alguma...

O pato e a garrafa

Nas técnicas adotadas pelo Zen Budismo existem os koans (pequenas histórias enigmáticas destinadas a confundir o intelecto até que apreenda que existe dimensão além...

2 COMENTÁRIOS

  1. Émerson Monteiro mais uma vez nos presenteia com suas doces e saudosas recordações. Infância vivida no Sítio Tatu em Lavras da Mangabeira, esses recortes de memória vai aos poucos preenchendo as lacunas de um tempo cheio de riquezas e valores esquecidos hoje.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

Julgar é fácil, difícil é ser

Como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Você não é todo mundo

Hoje eu me reservo o direito de usar essa máxima usada por mães mundo afora para falar da minha mãe. Se tem uma coisa...

A esperança voltou!

  A semana que antecedeu as convenções partidárias foi muito movimentada, notadamente pela visita à Paraíba do presidente Luiz Inácio da Silva- Lula. A festa...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...