fbpx
23.1 C
João Pessoa
Início Juscelino X David Nasser
Array

Juscelino X David Nasser



Por: JOÃO VICENTE MACHADO

   A notícia destaque da semana e que causou um profundo mal estar,  não somente no meio jornalístico como  também em todos os amantes da democracia da palavra, foi a reação tosca e furiosa  do presidente da república a uma pergunta que lhe foi formulada por um jornalista do jornal  O Globo na catedral de Brasília que ele visitava no domingo, dia 23/08/2020.

      O jornalista indagou do presidente sobre o que justificaria os depósitos feitos pelo ex-assessor Fabrício Queiroz em favor da primeira dama Michelle Bolsonaro. O presidente ficou possesso e respondeu com a “fidalguia” que lhe é peculiar: “a minha vontade é encher sua boca de porrada”. (clique aqui)

   Uma resposta dessas poderia vir de qualquer pessoa, menos de um chefe de estado, representante legal da ainda sexta ou sétima economia do planeta.

      A plebe ignara pode até se comportar de maneira imprópria,  cometer deslizes, mas ela não aceita e nem aprova esse comportamento vindo de alguém que se diz  liderança.

     Faz-nos recordar o velho bordão popular que repete sempre: “já não se fazem mais presidentes da república como antigamente.”

      O Presidente Juscelino Kubitschek tinha no famoso jornalista e compositor famoso David Nasser, um crítico ácido, tendencioso e  costumaz a quem quer que representasse um mínimo de democracia e com JK não foi diferente.
     

Jornalista David Nasser  foto: DR/de internet
     Era um compositor já consagrado e como jornalista escrevia uma prestigiada página na revista O Cruzeiro, sempre ilustrada com fotos do famoso fotógrafo Jean Manzon.

      A revista integrava um conglomerado de órgãos jornalísticos denominado Diários Associados, de propriedade do jornalista paraibano de direita Assis Chateaubriand, à época muito mais poderoso do que foi Roberto Marinho sendo denominado pelo jornalista Fernando Morais num livro biográfico, como Chatô, o Rei do Brasil.

    Dá para perceber que o habitat jornalístico de David Nasser, tinha um enorme poder de fogo e enquanto ele rezasse pela cartilha do poderoso chefão teria munição suficiente para para atingir e derrubar governantes que contrariassem o establishment.


                     Juscelino Kubitschek

    David Nasser não dava trégua a Juscelino Kubitschek por quem não nutria qualquer simpatia e que era criticado pelo seu nacionalismo que lutava por um país independente e qualquer argueiro no olho das oligarquias, por qualquer motivo banal era objeto do engenho de moer reputações, como acontece até hoje, inclusive aqui na Paraíba.


      David Nasser não era um primor de ética e tinha métodos nada republicanos, prática ainda hoje presente no jornalismo atual, sobretudo naquilo que considero  milícias virtuais que é um jornalismo à soldo do sistema.

    Na vida pessoal ele teve uma trajetória nebulosa, inclusive  mantendo  ligações com grupos de extrema direita,  chegando até  a ser  Presidente de Honra de um grupo de extermínio ligado à polícia carioca denominado Scuderie Le Coq, que  defendia na sua prestigiada  coluna da revista O Cruzeiro.

   Conspirou contra a posse legitima de João Goulart com a vacância devida a renuncia de Janio Quadros e desentendeu-se com Leonel Brizola cunhado de Jango, e a mais expressiva voz das esquerdas  que comandou a partir de Porto Alegre a vitoriosa cadeia da legalidade, apoiado pelo comandante do 3° Exército, que permitiu  a posse de Jango.

   Brizola era mais jovem e mais impulsivo e chegou a um confronto físico com Nasser que seria um dos porta vozes da conspiração que culminou com o  golpe de 1964, do qual e para seu castigo terminou sendo vítima, com a prisão política do sobrinho e da  sua esposa grávida que viria perder  a criança em consequência das torturas.

Leonel de Moura Brizola

       Certa feita Juscelino desembarcava no aeroporto do Galeão e se deparava com David Nasser,  que lhe dirigiu uma pergunta indiscreta e provocativa.
     JK com a fleuma e a experiência  do bom mineiro, ao invés de ataca-lo fisicamente, deu-lhe uma chibatada moral e falou sereno ao agressor que era descendente de libaneses: “Turco, feliz de quem mora num país em que um jornalista pode afrontar o  Presidente da República e sair ileso.”

      Mais não falou e nem lhe foi perguntado e isso reforça a tese inicial do texto que nos faz refletir o velho e conhecido bordão:

      “Realmente, já não se fazem mais presidentes da república como antigamente”.
Foto:

Relacionados

A primeira entrevista publicada no Brasil

Em 1808, quando D. João chegou ao Rio de Janeiro, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal, trouxe na sua imensa bagagem...

Mês dos pais

Conceituam-se os fenômenos para atender às necessidades, sejam de mercado, sejam de conveniência, mas conceituar transforma o simples no complexo e o certo no...

O que é Depressão?

A depressão é um transtorno que envolve o corpo, o humor e os pensamentos. Ela interfere no cotidiano, nas relações sociais, nas relações familiares...

1 COMENTÁRIO

  1. Apostar num Bolsonaro CONVERTIDO, pura ingenuidade dos seus demais.Não demorou muito a vomitar impropérios contra jornalistas. Ora "a boca fala do que o coração está cheio". Que sabe mais falar Bolsonaro?
    David Nasser das sensacionalistas reportagens da revista O CRUZEIRO, bom conhecer traços da sua personalidade e o que significou para nossa História seu jornalismo marrom. Quanto a Chateaubriand, o conheci pessoalmente em visita ao nosso Colégio em Cajazeiras onde eu interna, no início dos anos 50. Só muito depois com o crescer das Comunicacoes vim entender seu papel. Agora através deste site tenho a oportunidade de descobrir muitos fatos que tecem o enredo da nossa História. Este site é muito bom. Muito rico, instrutivo. Vamos em frente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

A primeira entrevista publicada no Brasil

Em 1808, quando D. João chegou ao Rio de Janeiro, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal, trouxe na sua imensa bagagem...

Mês dos pais

Conceituam-se os fenômenos para atender às necessidades, sejam de mercado, sejam de conveniência, mas conceituar transforma o simples no complexo e o certo no...

O que é Depressão?

A depressão é um transtorno que envolve o corpo, o humor e os pensamentos. Ela interfere no cotidiano, nas relações sociais, nas relações familiares...

Macacos não transmitem a varíola

O Brasil está mais vez está enfrentando uma pandemia diferente. Dessa vez é a varíola dos macacos (do inglês monkeypox). Essa varíola apresenta sintomas...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Afinal de Contas Que Canal é Esse?

Canal é um dispositivo hidráulico usado para transporte de água, muito conhecido de todos nós, desde a primitiva levada de terra, até os canais...