fbpx
20.1 C
João Pessoa
Início Emerson Monteiro A felicidade não se compra

A felicidade não se compra

Este o título de um filme realizado na década de 40 do século passado, isso logo depois da Segunda Grande Guerra (1946). Película por demais festejada, durante longa data foi considerada a maior bilheteria da história do cinema, lógico que hoje superada por conta do aumento da população e dos outros meios de comunicação, o que impede das estatísticas funcionarem com a mesma precisão. No entanto ora pode ser localizada com facilidade através desses meios de tevê e internet, a fim de ser vista pelos que interessarem.

É a história de um espírito desencarnado, candidato a anjo que, para ganhar suas asas, recebeu a missão de ajudar um valoroso empresário que, em virtude de grave problema financeiro, provocado por desonesto banqueiro, tinha a intenção de se suicidar.

O aspirante a anjo foi encontrá-lo na véspera do Natal, à noite, prestes a saltar de uma ponte nas águas geladas que corriam embaixo. Fazendo-se visível e identificando-se, falou de sua missão e, sem nenhuma pretensão de demovê-lo da ideia, comentou que seria um desperdício, porque ele vinha sendo importante para muita gente. Ante o ceticismo de seu protegido, que se sentia um fracassado, o amigo espiritual mostrou-lhe várias situações que teriam acontecido se não fosse sua interferência. A morte do irmão, a tristeza da esposa, a situação lastimável de sua cidade entre outras. (Wikipédia)

Uma produção cinematográfica dirigida por Frank Capra e estrelada por James Stewart, dentre outros, ainda em preto e branco, que bem merece ser conhecida pelos que apreciam o que vale a pena ser apreciado.

 

Mas o que me deteve a considerar tal obra de arte leva em conta exatamente o título que recebeu, A felicidade não se compra (It’s a Wonderful life). Isto no tempo dagora quando tudo, ou quase tudo, custa o vil metal, ou os olhos da cara, qual dizem. Enquanto isto, a Humanidade arrasta a barriga no chão das almas e praticamente desconhece valores. Vou mais longe, não, pois o espaço esgotou, desta vez. Queira ver o filme e tire a própria conclusão. Abraço.

Relacionados

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...

O justo fruto das nossas ações

O ímpio recebe pagamentos enganosos, mas quem semeia a justiça colhe segura recompensa. Provérbios 11:18 Ao chegar da escola, ainda contrariada por causa de alguma...

O pato e a garrafa

Nas técnicas adotadas pelo Zen Budismo existem os koans (pequenas histórias enigmáticas destinadas a confundir o intelecto até que apreenda que existe dimensão além...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas

Um beijo para o gordo

Sempre me pareceu um pouco tolo a emoção que muitas pessoas demonstram quando algum famoso morre. São famosas as cenas, como nos funerais de...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Esqueceram o Marquês

A passagem de efemérides, como a do segundo centenário da nossa Independência, faz com que algumas figuras históricas daquele momento sejam rememoradas (em regra,...

Lula-lá: Sem Medo de Ser Feliz

Desde a minha infância vivida na minha cidade natal, Lavras da Mangabeira CE, me habituei a ouvir modinhas e parodias usadas no período de...

Mais Lidas

OS 11 princípios de Joseph Goebbels

Texto originalmente publicado em 08/01/2020    Joseph Goebbels, para os que não têm a informação, foi ministro da propaganda de Adolf Hitler e comandou a...

Tudo Passa Sobre a Terra

   Não foram poucas as vezes   que fizemos uso da famosa frase do escritor cearense José de Alencar, usada por ele ao finalizar o...

Medo e Liberdade

Tenho refletido muito, talvez pelo momento político, a respeito de liberdade em seu sentido mais amplo. Mas o que é liberdade? Segundo o dicionário...

Asas que voam

Pelas frestas da janela, essas lembranças invadem o quarto sombrio daquele tempo escorrido nas noites do passado. Uma vez, recordo bem, reservara a mim...